O Cristão e o Uso do Tempo

José Maria Vigil afirmou: “0 ano tem 365 angústias; o dia 24 desencantos; a hora 60 inquietações.”

Apesar de vivermos num mundo de angústia, inquietação e desencanto, podemos com a graça de Deus, transformar o tempo que perfaz a nossa vida numa trajetória bem sucedida.

A vida se nos apresenta como um grande presente de Deus quando sabemos usar convenientemente as oportunidades que ela nos oferece. E, para que isto se torne uma realidade palpável , é necessário criterioso uso do tempo. Schopenhauer disse: “Os homens comuns limitam-se a passar o tempo, mas quem tem talento trata de aproveitá-lo.”

Discordamos, em parte, do grande filósofo porque há muitas pessoas de talento que malbaratam o tempo de que dispõem. A não ser que ele se tenha referido ao talento para usar o tempo.. . Por outro lado, entendemos por “comuns” todos os indivíduos — sejam bem aquinhoados intelectualmente ou não — que passam de largo pela vida. Como afirmou Ralph Emerson, ”a pior coisa no tempo é não sabermos o que fazer com ele”.

Como cristãos, encaramos o tempo como um dom especial. Diz o Espírito de Profecia: “Nosso tempo pertence a Deus. Cada momento é Seu, e estamos sob a mais solene obrigação de aproveitá-lo para Sua glória. De nenhum talento que nos concedeu requererá Ele mais estrita conta do que de nosso tempo”. — Parábolas de Jesus, pág. 342.

Na interminável linha do tempo, nossa vida é tão-somente um ponto. “Sois apenas como neblina que aparece por instante e logo se dissipa.” Tiago 4:14. Apesar disso, o tempo da nossa vida comporta muitas realizações significativas, principalmente quando trabalhamos e agimos segundo as diretrizes divinas.

Estamos iniciando mais um ano. E, uma vez que desejamos alcançar maturidade cristã e fazer grandes coisas para o reino de Deus, como deveremos proceder? Como vamos agir, uma vez que o tempo que se acha à nossa disposição é de inestimável valor?

1. Aperfeiçoamento — O mundo está cheio de pessoas medíocres. Milhares de indivíduos talentosos vivem à margem da vida. E, na maioria dos casos, essa condição é conseqüência de oportunidades desperdiçadas e falta de perseverança.

O cristão, entretanto, ama o progresso. Não se limita a coisas estreitas. Olha para cima. Aspira a grandes alturas, sem, contudo, pensar em grandeza pessoal. Tudo que o cristão faz tem a marca da perfeição. Se estuda, aplica-se à aquisição de conhecimentos; se se empenha numa atividade, fá-lo com dedicação, procurando sempre superar sucessos anteriores. Não se contenta com superficialidades. Mas, para alcançar isto, valoriza o tempo e as oportunidades. Não é assassino do tempo. Jean de la Bruyère disse: “Os que empregam mal o tempo são os primeiros a queixar-se da sua brevidade.”

2. Leitura — Permita-nos o leitor fazer uma pergunta direta: Quantos livros leu o irmão este ano? Faça a conta e veja como o resultado é desalentador… Pois bem, um novo ano está pela frente, e por que não aproveitarmos o tempo para ler boas obras, aumentando, assim, nossos conhecimentos e nossa utilidade ao mundo que nos cerca? Conhecemos pessoas que lêem um livro por semana. E ainda realizam muitas outras coisas, além de trabalharem seriamente. Tudo é uma questão de disciplina e vontade de aprender. Não podemos admitir que a maioria dos adventistas, neste novo ano, continue remexendo ciscalhos, ou seja, fazendo rápidas leituras de jornais e revistas e, quem sabe, de algum livro não recomendável …

Causa-nos espanto ver pessoas passando horas a fio conversando sobre coisas corriqueiras. E o tempo vai passando, passando. Por isso, muitos são medíocres em tudo. ”Evita os falatórios inúteis e profanos…” II Tim. 2:16.

Muitos sermões que ouvimos por aí, quer de obreiros, quer de leigos, traduzem apenas a ausência de leitura. E, assim, continuamos a escutar um rosário de lugares-comuns.

3. Comunhão com Deus — Neste ano que se inicia, teremos tempo para muitas coisas: viagens, passeios, esportes, trabalho, etc. E o tempo para a comunhão com Deus? Sim, deveremos separar, diariamente, uma hora nobre para entrarmos em sintonia com os pensamentos de Deus. Se o fizermos, todas as outras atividades receberão uma diretriz segura. “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33). Se dedicarmos tempo especial para comunhão com Deus, estaremos recebendo força e poder a fim de nos habilitarmos para uma vida que não terá fim.

4. Trabalho — É mediante trabalho construtivo que valorizamos o tempo. Mas, para que nosso trabalho seja rentável neste ano, é necessário que levemos em consideração alguns aspectos: a) definição de nossos alvos; b) programação do trabalho em etapas; c) fazer uma só coisa de cada vez; d) perguntar sempre: quanto vale meu tempo?; e) saber quais são as coisas essenciais.

O mundo deverá ser melhor como resultado de nosso trabalho. Pessoas deverão ser influenciadas para o bem e inspiradas a fazer coisas elevadas. Se nosso trabalho consistir meramente na aquisição de dinheiro para a satisfação de interesses egoísticos, fracassaremos.

5. Testemunho — O ano que em breve se inicia está nos colocando mais perto do fim de todas as coisas. Jesus está às portas. O Rei dos reis Se aproxima. Em face disso, por que não separarmos boa porção de nosso tempo para falar sobre as maravilhas que Deus tem operado em nossa vida? Por que não darmos mais estudos bíblicos? Por que não distribuirmos mais literatura? Acima de tudo, por que não vivermos uma vida piedosa perante os habitantes deste mundo que marcha para a destruição?

Trabalhar para Cristo e testemunhar por Ele, eis uma maneira ideal de aproveitar o tempo que o Céu nos concede.

Alguém afirmou que “o tempo é a inexplicável matéria-prima de tudo”. Platão disse que “o tempo é a margem da eternidade”. E Einstein asseverou: “O tempo é a quarta dimensão”.

E o que nos diz o Todo-poderoso?

Ele não está preocupado com definições filosóficas. Mas é claro e objetivo em nos dizer: “E digo isto a vós outros que conheceis o tempo, que já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto do que quando no princípio cremos” (Romanos 13:11).

Que Deus nos ajude a remir o tempo no ano que se inicia, a fim de que nos aproximemos da eternidade!

Editorial publicado na RA de Janeiro/1982.

Fonte: SétimoDia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>