PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Domingo, 19 de fevereiro de 2017
   |   
GOOGLE NO SITE

  / Notícias

13/12/2016 06h32 - Atualizado em 05/01/2017 10h42
Conheça a história da profissional de Pilates Beth Dória

EDUARDO BASTOS
2 Comentários  





O QUE É PILATES E O QUE ESSA TÉCNICA PODE FAZER POR NÓS

Nossos músculos necessitam se manter flexíveis e alongados para continuarem saudáveis. O papel do Pilates é fortalecer os músculos e manter as articulações protegidas. Para isso, exercícios são feitos sem pressa e com muito controle. O Pilates trabalha a respiração, associado com a contratação do abdômen, que é o centro de força do homem. O Pilates lida com exercícios global, que envolvem todo o corpo, e forçam nossa mente a remodelá-lo. 

O Pilates exige concentração máxima na hora de execução dos exercícios e o alinhamento postural é importante em cada exercício, ajudando na postura do indivíduo. As aulas de Pilates trabalha o corpo inteiro, e seus benefícios são tantos que a cada dia aumenta o número de praticantes, haja vista que as pessoas têm percebido a eficácia do método.

O Pilates combate o estresse do dia a dia, e ainda ajuda na concentração e na diminuição das dores musculares causadas pela fadiga do cotidiano.

O Pilates pode ser praticado por pessoas de todas as idades, bastando que para isso o indivíduo tenha consciência do seu corpo. Quem pratica Pilates tem que ter um acompanhamento correto, com o profissional qualificado sempre por perto.

Aparentemente, os exercícios do Pilates são suaves e controlados. Mas não nos iludamos: essa atividade física proporciona sim alongamento e fortalecimento para o corpo, contribuindo para a melhora da respiração e definição muscular (tonificação). Muitos adeptos optam pelo Pilates como treino diário e atividade física.
Em Lagarto, quando se fala em Pilates, a referência que se tem é um estúdio montado na Avenida Francisco Garcêz, 28, de propriedade de Beth Dória.
QUEM É BETH DÓRIA


Beth Ângela Dória Mendonça tem 34 anos, nasceu no dia 03 de setembro de 1982, e há dez é formada em fisioterapia. Beth é filha de sergipanos. Seu pai, José Romilto Mendonça, é natural de Ribeirópolis e sua mãe, Maria da Piedade Dórea Mendonça, nasceu em lagarto. Beth tem um irmão, que hoje está com 36, e que trabalha como consultor organizacional e professor universitário.
Beth foi estudante do Colégio Arquidiocesano, e cursou Fisioterapia na Universidade Tiradentes. O pai de Beth é um renomado professor de educação física em Aracaju, mas Beth confessa que, na opção acadêmica que fez, em nenhum momento sofreu influência do seu genitor.
Romilto queria que a filha cursasse medicina ou direito, por entender que essas são áreas que proporcionam melhor retorno financeiro. Mas a filha chegou à conclusão que queria mesmo era estudar fisioterapia, por ser um curso relativamente novo. Sendo assim, procurou ler sobre o curso que almejava fazer e como ele funcionava.  Foi então à UNIT e ao Centro de Reabilitação e percebeu a magia que era a fisioterapia.



Beth diz ter se identificado muito com fisioterapia porque, segundo ela, é um campo em que o profissional cresce muito como pessoa. O profissional dessa área costuma pegar muitos casos complicados, e há situações em que, no final, apenas a fisioterapia resolve. A fisioterapia tem uma coisa mágica: enquanto outras áreas da medicina tratam os pacientes apenas com remédios, a fisioterapia o faz com o recurso das mãos, sem a necessidade de recorrer a medicamentos – e é isso que é encantador e gratificante. Beth diz que hoje em dia trabalha mais com Pilates, mas sente falta de labutar com a fisioterapia. Ela até cuida de pacientes com problemas neurológicos, mas sente por não estar atendendo em ambulatório, pois sempre teve a consciência que pode dar mais de si para ajudar o próximo. 

FISIOTERAPIA E CRESCIMENTO PESSOAL


A proprietária da primeira academia de Pilates instalada em Lagarto confessa que o fisioterapeuta tem a oportunidade de crescer muito como pessoa e aprende, mais que tudo, a valorizar as coisas simples da vida, a perceber que tem gente no mundo passando por situações difíceis, enquanto outras vivem a reclamar por problemas bem menores. Há pessoa, por exemplo, que reclama que o cabelo está feio, ou então que está gorda, enquanto existem por aí pessoas com problemas de saúde sérios – problemas que colocam em dúvida até mesmo a possibilidade de elas estarem vivas no dia de amanhã. Beth confessa que se tornou uma outra pessoa depois que passou a estudar e a praticar a fisioterapia, haja vista que a cada dia tem a chance de aprender lições de vida com seus pacientes. Ela diz que tinha uma mentalidade e um jeito diferente de enxergar o mundo - que mudaram após ela passar a atuar e a conviver com seus pacientes.
Dia desses, nossa fisioterapeuta recebeu a visita de um grupo de alunos do curso de fisioterapia da Universidade Federal de Sergipe, do Campus de Lagarto, e, em determinado momento, todos choraram, precisamente no momento que ela deu um depoimento dizendo que há casos em que, quando a fisioterapeuta consegue a proeza de levantar o dedo de um paciente, ele, em reconhecimento e gratidão, passa a tratá-la como a uma rainha.


Quando Beth decidiu trabalhar com Pilates já tinha 5 de formada e recebia muito pouco, exercendo sua atividade pela manhã e pela tarde na cidade de Itabaianinha. Logo após se formar, ela chegou a trabalhar em Estância, Itabaianinha e Aracaju. Ela então optou por Pilates porque era uma área que estava "bombando", e em Aracaju todo mundo estava fazendo isso. Ela supunha que trabalhar com Pilates lhe proporcionaria um retorno financeiro melhor, e acabou mesmo se apaixonando pela nova técnica que escolheu - e prova disso é que ela fez o primeiro curso, depois frequentou e concluiu mais dois e, no dia a dia, sempre procura se aprimorar, já que, no seu entendimento, o Pilates é uma técnica inovadora, em que o profissional pode perceber evolução rápida nas condições físicas dos alunos.

CURSOS DOS QUAIS BETH PARTICIPOU


Um dos cursos de Pilates que ela fez foi pela FisioServ - que é uma escola que tem sede em salvador, mas que ministrou esse curso em Aracaju mesmo, e que Beth considerou como completo, pois é constituído de módulos de gestante, de neurologia, de criança e de atleta. Nesse curso, ela teve a oportunidade de ver como se deve trabalhar com exercícios básicos, intermediários e avançados. Nele também ela teve a chance de aprofundar conhecimentos de como trabalhar com exercícios em solo e com aparelhos. O curso capacitou a profissional até mesmo para que ela manipule aparelhos com precisão, garantindo assim maior durabilidade a seus equipamentos. O segundo curso do qual Beth participou foi a nível internacional, ministrado em São Paulo por australianos.

Foi um curso mais de solo, e sua importância se deveu ao fato de o aprendizado se dá com o apoio de artigos científicos. O principal ganho nesse curso foi a chance de nossa profissional estudar e discutir os cuidados que se deve ter com aqueles movimentos que se pratica no Pilates tradicional – movimentos esse de grandes amplitudes - e que, às vezes, podem contribuir para sobrecarregar articulações. Beth diz que, como fisioterapeuta, ela se esforça para que nada prejudique quem está sob suas orientações e cuidados.


O curso que Beth fez no APPI lhe mostrou que determinados exercícios podem ser praticados, mas com moderação, para não prejudicar as articulações. O curso  internacional feito por Beth Dória foi todo ele voltado para a área da fisioterapia. O último curso do qual Beth participou teve lugar na cidade de Salvador, e foi de Neopilates. O Neopilates é uma atividade nova - trata-se da união do Pilates funcional com a arte de circo -, e orienta o profissional a trabalhar com tecido, com lira, com bolas e demais materiais que se usa na prática da acrobacia. Beth diz que, assim que tiver oportunidade, estará implementando essas novas técnicas em sua academia de Lagarto. Nossa fisioterapeuta possui ainda em seu currículo curso de mobilização neural, e outros que lhe serve de suporte no trabalho que ela desenvolve com o Pilates. Ela fez residência e especialização em ortopedia no hospital São Rafael, em Salvador, e pós-graduação na Universidade Gama Filho, também na capital baiana. 

PILATES TEM SUA FILOSOFIA


A filosofia do Pilates é a contrologia, que é a capacidade de as pessoas fazerem todos os exercícios de forma controlada. No Pilates se observa mais a qualidade que a quantidade. Então, o praticante tem que fazer os exercícios com a postura correta, cuidando para que a respiração esteja também correta, com o controle total dos movimentos. O Pilates é um movimento global, em que o praticante consegue uma série de benefícios num único exercício. Às vezes, o aluno pode alongar, fortalecer e imobilizar – tudo num único exercício.  

Quando Beth começou a exercer sua profissão, trabalhou com pacientes do SUS em todas as áreas da fisioterapia: respiratória, neurológica, pediátrica, ortopédica. Quando se estabeleceu na cidade de Lagarto é que ela passou a desenvolver suas atividades mais na área de ortopedia. Não obstante, jamais deixou de atender lagartenses que a procuram com demandas neurológicas em outras áreas.


O Pilates trabalha com todos os tipos de patologia. Beth diz que seus pacientes são tratados apenas com exercícios, até porque o fisioterapeuta não pode prescrever medicação. O fisioterapeuta não é autorizado a fazer isso, e costuma-se obter muitos resultados positivos sem a necessidade de se fazer uso de remédios.
Beth definiu seu campo de atuação profissional por gostar mesmo. Se ela tivesse considerado a questão financeira, teria optado pelo campo da estética, haja vista a certeza que se tem da garantia de um retorno financeiro melhor e mais seguro. Quando ainda estagiava na faculdade, ela gostava muito de trabalhar com atletas e se dedicava à ortopedia, daí ter feito especialização e residência exatamente nessa área. Como o Pilates tem tudo a ver com a ortopedia, Beth confessa que hoje é apaixonada pela área que atua, mas sente muita saudade de atender em clínica e no pronto-socorro.


Beth se formou no final do segundo semestre de 2005 e colou grau no início do ano subsequente. Ela ainda morou em Salvador ao longo de seis meses, porque sua residência era feita de forma integral, e aí ela a conciliou com a pós-graduação. Ao concluir essa etapa dos seus estudos ela voltou para Aracaju, e aí foi convidada por uma amiga para trabalhar com ortopedia na cidade de Estância - e ficou por lá substituindo uma outra profissional por uns três meses. Logo após, Beth recebeu uma nova proposta para trabalhar na cidade de Itabaianinha. Nessa cidade, ela permaneceu por cerca de dois anos e meio, e hoje ela revela ter muita gratidão pelo povo de Itabaianinha, e por lá fez muitos amigos, pois seu povo é muito receptivo e acolhedor. Em Itabaianinha ela recebia cliente em sua clínica que acabavam saindo de lá como amigos – pois ali o atendimento era diário, o cliente chegava, sentava, desabafava e contava seus problemas – e era isso que contribuía, a exemplo do que acontece em sua academia em Lagarto – para que se formassem laços de amizade que perduram no tempo.
A Clínica da cidade de Itabaianinha fechou por um período, mas, graças às amizade que fez nessa cidade, Beth logo conseguiu um contrato e passou a atender em domicílio. Ao optar por fazer esse tipo de atendimento, ela teve a oportunidade de aprender muito, uma vez que sua clientela era formada pela parcela mais carente da população, e ela tinha que lidar diariamente com situações delicados. Nesse período, Beth costumava chegar em casa exausta, após as 21h, 22h, e foi aí que ela decidiu voltar para Aracaju, onde passou a atender em domicílio e na Urgências Médicas, na Ceat e Cemise.


Beth ainda permaneceu trabalhando em Aracaju por um ano, e aí decidiu frequentar um curso e se especializar em Pilates, já convicta que iria abrir sua própria academia. Após concluir o curso de Pilates, passou a pesquisar, e chegou à conclusão que Lagarto poderia ser um campo interessante para ela instalar seu empreendimento. Beth então veio a Lagarto e constatou que havia apenas uma menina que trabalhava com bolas. Ao chegar aqui teve a sorte de conhecer Jadson, proprietário da Loja Blitz, que passou a orientá-la, fornecendo-lhe vários contatos que poderiam ajudar, e lhe indicou imóveis 
que ofereciam condições para instalação de uma academia na cidade.
PIONEIRA



Quando Beth estava indo embora, entrou na Cliodonto e constatou que lá tinha uma sala desativada. Então ela fechou negócio, fez as reformas que entendia como necessárias no prédio, e três meses depois já estava trabalhando. Aos poucos a clientela foi aumentando, e o retorno do investimento foi rápido e animador. Beth diz que, quando fala que foi pioneira em Lagarto, se refere à sua iniciativa em ser a primeira a instalar uma estrutura de Pilates em nosso município, pois o primeiro estúdio a trabalhar em Lagarto com solos e aparelhos foi indubitavelmente o dela (depois do de Beth, mais quatro estúdios se instalaram em nossa cidade).


Beth montou seu estúdio com o que há de melhor em termos de aparelhos que se utiliza na prática do Pilates: o cadilac, o riform, o barril e a chair – ou cadeira. No mercado só há esses quatro equipamentos que podem ser utilizados na prática do Pilates,  a partir de uma infinidade de variações – a depender dos complementos que acompanham cada um. Cada equipamento possibilita se fazer inúmeros exercícios, a depender da criatividade do profissional e da necessidade do cliente em trabalhar determinadas articulações corporais na aula daquele dia. Todos os equipamento permitem se fazer exercícios com ou sem molas, e o profissional ainda tem a opção de incrementá-los, lançando mão de bolas com pesos variáveis - dentre outros acessórios.
O riform é um equipamento que se usa para exercícios mais estáveis. O barril é um equipamento que não tem molas. A cadeira é um equipamento utilizado para se fazer exercícios de braço e intermediários. O Cadilac é um equipamento que pode ser usado simultaneamente por até três alunos.
Beth considera o Cadilac o equipamento mais completo e é o que ela mais gosta, uma vez que ele permite que se façam acrobacias e exercícios mais avançados. Uma das vantagens do estúdio da Avenida Francisco Garcez é que os equipamentos podem ser usados por todos os alunos, independente de sexo e idade. Não existem restrições, contraindicações nem idade para se fazer Pilates. Cabe ao profissional dosar os exercícios em conformidade com os objetivos de cada pessoa, e com a carga que cada um pode suportar – depois de o profissional observar e analisar o condicionamento físico do praticante.
A clientela de Beth é composta em sua maioria por mulheres, mas o número de homens tem aumentado muito. Muitos adolescentes têm passado a praticar Pilates, assim como universitários, crianças e pessoas na faixa etária entre 30 a 60 anos. Beth diz que costuma ser bastante flexível quando se trata de valores e de formas de pagamento - sem esquecer, é claro, do que se configura como um preço justo.

PILATES É PARA QUEM SE PREOCUPA EM SE MANTER SAUDÁVEL

Beth costuma dizer que, ao contrário do que se alardeia por aí, Pilates não é coisa de rico; Pilates é coisa de gente inteligente e que gosta de cuidar de sua saúde. É preciso que o cliente considere que estará praticando exercícios num ambiente climatizado, livre de barulhos e com poucos alunos – o que garante um atendimento personalizado. Em um estúdio de Pilates não se pode colocar num mesmo horário a quantidade de alunos que se coloca numa academia. É preciso saber que o profissional que atende na academia de Pilates passou por uma série de cursos de especialização – pois Pilates é uma atividade séria que, quando praticado de forma errônea, pode resultar em problemas graves para o praticante. Daí a necessidade de se saber os cursos pelos quais o professor passou.

A proprietária da academia Beth Doria confessa ser difícil trabalhar na cidade de Lagarto, pois, toda vez que abre um estúdio novo, a tendência é o dono cobrar um valor sempre abaixo do real, visando atrair o maior número de clientes. Beth entende que não se pode fazer isso e continuar sustentando o discurso de que se vai oferecer um serviço de qualidade, e que, muitas vezes, as pessoas confundem o barato com o popular. É preciso considerar que é muito caro se montar e abrir uma academia de Pilates. É preciso compreender ainda que os preços cobrados no Pilates serão sempre maiores, pois uma academia de Pilates comportará sempre um número menor de alunos por vez. Beth diz que, independente do preço, quando um aluno procura o Pilates deve considerar sempre o retorno, que se traduz, em última análise, em benefícios para sua saúde física.


UM PRÁTICA RECOMENDADA PELOS MÉDICOS
Dórica esclarece que na atualidade o Pilates é uma das práticas mais recomendadas pelos médicos para homens e mulheres. A fisioterapeuta lembra que ainda há preconceito em relação à prática do Pilates, pois muita gente ainda o considera coisa para mulher. O preconceito hoje é bem menor, uma vez que a mídia tem falado com frequência do Pilates, e os benefícios da prática têm se difundido muito na sociedade. As próprias pessoas que praticam Pilates acabam indicando-o a amigos e parentes.
Quando o cliente chega pela primeira vez na academia demonstrando interesse em praticar Pilates, Beth o submete a uma avaliação, confere sua patologia, verifica sua necessidade para ficar bem fisicamente, e o submete a alguns exercícios básicos, visando avaliar sua postura e possíveis problemas de coluna. A fisioterapeuta sempre senta com o aluno novato, conversa com ele e faz uma análise dos exames (muitos alunos levam exames quando do ato da matriculo, o que acaba por facilitar Beth definir seus tratamentos). Ao longo das aulas, Beth sempre está atenta, verificando erros na execução de exercícios, para evitar assim que os mesmos voltem a se repetir na aula seguinte. No transcorrer da aula, o aluno é submetido a alongamento, mobilização, fortalecimento da musculatura, e exercícios para trabalhar com a coordenação e contrologia da movimentação. No caso de clientes idosos, Beth priorizará o trabalho com o equilíbrio, e diz que a vantagem de atuar só é porque ela tem a chance de acompanhar passo a passo a evolução de cada aluno.

OFERECER MAIS E MELHOR É A META

Beth tem planos para construir e montar um estúdio próprio, maior e mais moderno em Lagarto. Antes, é pretensão sua equipar o estúdio atual com os equipamentos que irão viabilizar a prática do Neopilates, pois ela gosta de inovar, de oferecer sempre mais opções para aqueles que procuram sua academia e integram sua clientela. Beth já colocou em sua academia aulas de muay thai, de zumba e fitdançe.
As pessoas costumam procurar a academia de Beth por indicação médica ou por alunos que já praticam Pilates e sabem de seus benefícios para a saúde. O cliente que chega pela primeira vez na academia de Beth sempre mostra curiosidade em saber sobre os exercícios praticados durante uma aula. Beth então o convida para uma primeira aula experimental - que também é gratuita. O aluno principiante se familiariza com os equipamentos, e então ele vai para a prática.
A maioria das pessoas pode fazer Pilates. Não obstante, alguns exercícios têm contraindicações – precisamente para pessoas que usam marca-passo, para aquelas que têm labirintite ou mulheres que se encontram nos três primeiros meses iniciais de gestação.
Às vezes, há clientes que procuram uma academia de Pilates pelo preço; não pela qualidade. Quando o cliente chega em sua academia por indicação médica, Beth se debruça com atenção sobre a patologia e procura saber mais detalhes do cliente: onde é que dói e onde é que ele não sente maiores desconfortos. A partir daí ela define exercícios iniciais para trabalhar nas extremidades e, num segundo momento, chegar ao foco da dor.

OS RICOS DE SE PRATICAR PILATES COM PROFISSIONAIS SEM A DEVIDA HABILITAÇÃO
Há pessoas no mercado que oferece a prática do Pilates sem possuir qualquer tipo de formação. Beth diz que seu curso de Pilates teve a duração de dois anos, mas que ela sabe que há gente no mercado dando aulas, mas que estudou as técnicas do Pilates apenas por Workshops que costumam durar uma final de semana; no máximo uma semana. Beth entende que a fiscalização deveria atuar com mais intensidade, pois, em nosso país, os únicos profissionais autorizados a dar aula de Pilates são fisioterapeutas, professores de Educação Física e Bailarinos – que possuam em seus currículos cursos de Pilates.
Há riscos enormes para aqueles(as) que frequentam aulas de Pilates com profissionais que não possuem formação adequada. O indivíduo pode praticar exercícios que prejudicam as articulações e aumentam as dores. Exercícios mal feitos e sem acompanhamento podem resultar em machucados, quedas, quebras de braços ou pernas. No caso de uma mulher, se ela ainda estiver nos três primeiros meses de gestação terá que ter atenção especial quando estiver praticando exercícios abdominais. Se uma criança for submetida a exercícios inapropriados, poderá comprometer seriamente suas articulações.
O Pilates requer uma evolução. É natural que quando uma pessoa chegue pela primeira vez na academia, não possua ainda força nas pernas e abdômen que atendam às expectativas do professor. Então, toda atenção é pouco no sentido de se evitar acidentes.

UMA TEORIA QUE EVOLUI
O Pilates tem uma teoria básica, que trata da contrologia e postura, mas o profissional tem que sempre atentar para as condições físicas do paciente para aplicar aquilo que seja mais adequado em cada situação. Não se pode, por exemplo, aplicar exercícios de grande amplitude lombar a quem apresenta dor. Há também muita teoria relacionada à respiração: quando se puxa o ar; quando se solta... Há ainda muitos estudos e publicações que versam sobre pacientes com problemas neurológicos. Beth diz que a teoria que trata do Pilates está sempre em evolução, haja vista receber a contribuição permanente dos profissionais que lidam com a técnica e com pacientes no dia a dia. 

O PILATES COMO ALIADO


A filha de Romilto e Piedade revela que há sim hábitos que podem atrapalhar a pessoa a ter o retorno desejado quando pratica o Pilates. Ela é categórica quando afirma que o Pilates pode ser um aliado para quem tem problemas respiratórios. Outras pessoas que têm dificuldade na prática do Pilates são aquelas que não se alimentam bem, ou as que comem demais e de forma errada. Há pessoas que chegam na academia por indicação de nutricionista, principalmente aquelas que têm como foco a perda de peso. Beth diz que se uma pessoa não tiver sua alimentação regularizada, em nenhuma atividade física conseguirá perder peso. Doria confessa que adora fazer um trabalho multidisciplinar.  Bons resultados são alcançados em sua academia graças a parcerias com nutricionistas e profissionais de Educação físicas e de outras áreas da saúde. 

O PILATES É SEMPRE INDICADO POR REUNIR EXERCÍCIOS QUE TRABALHAM TODO O CORPO 

Para uma pessoa que ainda tem dúvidas se deve ou não frequentar uma academia de Pilates, Beth diria que, se ela se preocupa com sua saúde ou com prevenção, deve praticar alguma atividade física. Nossa fisioterapeuta indicaria a essa pessoa o Pilates por ser uma atividade global, em que o paciente conseguirá trabalhar todo o corpo numa única atividade. Beth diz que sempre convida o cliente a fazer uma aula, com a certeza de que seu cliente sairá dali se sentindo mais leve e feliz. Ela diz que não quer que a pessoa chegue em sua academia apenas porque está sentindo dor. Deseja que ela chegue normal, para que a prática do Pilates se constitua tão somente na garantia de uma vida tranquila e saudável. Afinal, o principal foco do Pilates é garantir qualidade de vida. Em sua academia, Beth não vende apenas saúde; vende também alegria, felicidade, amor, carinho, gratidão... Beth disse que, para além de ter apenas alunos, tem amigos. A preocupação dela é fazer seus clientes perceberem que estão frequentando um ambiente bom e agradável, para que assim eles façam tudo com prazer. Beth conclui falando que uma coisa que lhe traz felicidade é perceber pessoas se sentindo bem e cada vez com mais disposição.


Agradecimentos: Agradeço a Beth Dória por reservar parte do seu tempo para conversar comigo e permitir que eu fizesse os registros fotográficos que publiquei aqui. Beth foi sempre muito simpática e muito solícita nas vezes que  a procurei para confirmar informações e tirar dúvidas. Agradeço ainda a Jackeline Santana por estar sempre por perto, viabilizando esse trabalho.
Fotos: Eduardo Bastos
           Fotos do arquivo particular de Beth Mendonça Dória

Imprimir | Comunicar Erros | Link

Esta matéria recebeu 2 comentário(s)


Andréa
13/12/2016- 08h45
Parabéns Beth!!!! Seu trabalho está sendo fundamental para a melhoria da minha qualidade de vida! Estou adorando fazer pilates!!!


» responder » denunciar

Beth Dória
14/12/2016- 00h32
Imensamente lisonjeada, eternamente agradecida pelo apoio de pessoas como vcs: Eduardo Bastos, Portal Lagartense! Obrigada por contar um pouco da minha história aqui, q só tá começando.... espero de coração sempre contribuir e aprender c vocês! Meu muito obrigada, em especial a toda equipe que faz o Pilates Beth Dória um sucesso e meus amigos e alunos fiéisque me estimulam todos os dias a tentar ser sempre melhor! Isso sim é um grande retorno! ???????????? amo vcs!


» responder » denunciar

COMUNICAR ERRO NA MATÉRIA

Seu Nome
Email
Comentários

» comente esta matéria

AVISO:

1 - Ao comentar uma matéria é registrado o IP (número de registro) do computador de onde foi enviado.

2 - Também é armazenado no banco de dados, o EMAIL de quem escreve

3 - A responsabilidade do que é escrito é de seus autores ( proprietários do email e do IP)

4 - Comentários com ofensas pessoais ( xingamentos ), acusações, racistas, etc. Não serão permitidos.

5 - Não serão mais permitidos comentários que não tratem diretamente da matéria título.

6 - Caso sinta-se ofendido por um comentário, solicite sua retirada pelo email/MSN contato@lagartense.com.br ou pelo número (79)9945-9820 - Retiraremos imediatamente.

7 - Caso deseje fazer uma denúncia ou matéria, envie para contato@lagartense.com.br com suas devidas identificações, que publicaremos.

***
NOME *
EMAIL *
( Seu Email não será divulgado )
COMENTÁRIO *
Enviando ...
últimasNotícias
» 19/02/2017 | 02h28
Guarda Municipal recupera motocicleta furtada
» 18/02/2017 | 19h02
Marginais promovem arrastão em curso de Crisma em Lagarto
» 18/02/2017 | 15h26
Lagarto enfrenta o Amadense neste domingo
» 18/02/2017 | 15h16
Diego Costa participa de projeto para tentar tirar o time do Lagarto da crise
» 18/02/2017 | 15h05
Juíza entende que lei municipal é inconstitucional
» 18/02/2017 | 11h41
Edvaldo sanciona lei que parcela salário de dezembro dos servidores
» 18/02/2017 | 11h39
Juíza entende que lei municipal é inconstitucional e mantém Uber
» 18/02/2017 | 11h37
Biblioteca Infantil promove X Concurso de Fantasias
» 18/02/2017 | 11h32
Suspeitos de assalto a micro-ônibus são presos em Itaporanga
» 18/02/2017 | 11h30
Hemose leva cadastro de medula óssea para Simão Dias
» 18/02/2017 | 11h27
"Larguei o casamento com o pastor pra ficar com a pastora!"
» 18/02/2017 | 11h21
Menina de 12 anos é estuprada por padrasto e personal trainer em Goiás
» 18/02/2017 | 10h48
Em ato contra Trump, mexicanos fazem "muro humano" na fronteira
» 18/02/2017 | 10h46
"Tira minha vida, mas devolve ela", diz mãe de menina de 7 anos morta na Maré
» 18/02/2017 | 10h42
Pai, mãe e filha são assassinados na região metropolitana do Rio
» 18/02/2017 | 10h37
Liminar que proibia Caixa de exigir que funcionários de SP trabalhem aos sábados cai, diz Caixa
» 18/02/2017 | 10h24
Paciente diagnosticado com malária está internado no Huse
» 18/02/2017 | 10h01
Foragido da justiça é recapturado em Simão Dias
» 18/02/2017 | 09h27
Lagarto ganha o mais completo açougue da região
» 18/02/2017 | 02h33
Em 24 horas Polícia Civil efetuou quatro prisões
Veja + Notícias
maisLidas
PUBLICIDADE








| © Copyright - Todos os Direitos Reservados |
Reportagem: (79) 9945-9820    |   Comercial: (79) 9902-8663